Cura-te a ti Mesmo!


Edward Bach

Após a leitura do livro “Cura-te a ti Mesmo”, tive a certeza de que Bach encarnou no planeta terra para nos trazer este magnífico e esplêndido conhecimento através da natureza e precisamente através dos comportamentos das flores em sua formação, beleza e natureza.

O texto flui entre uma poesia e a ciência energética da vida humana, com todos seus aspectos mentais, físico e espirituais, considerando humores, comportamento, personalidade, sombras e crenças.

A saúde da humanidade está na consciência do nosso comportamento e de como somos capazes de lidar com os acontecimentos da nossa vida. Se conseguimos lidar com os conflitos entre a alma e a mente, poderemos ter uma vida mais saudável. Se formos contra nosso caminho, criamos sombra, tristeza, mentira, máscaras, resultando em doenças. Atualmente estas doenças são tratadas em seus sintomas, gerando ainda mais distúrbios e diagnósticos que acabam por gerar doenças crônicas, devido as químicas utilizadas para apaziguar a dor por não conduzirmos nossa vida de uma forma legítima com nossa essência.

É certo de que quando nossas almas e personalidades estão em harmonia, tudo é paz e alegria.

O grande postulado da vida é a compreensão da unidade das coisas. Deus, como criador de todas as coisas, lança seus raios no cosmos e ao final do cada raio, somos partículas emitidas para que possamos através das experiências desenvolver nossa evolução até a volta ao grande centro. Difícil imaginar isso? É a perfeita visualização da imagem do Sagrado Coração. Cada raio tem um destino e um tempo de duração!

Nunca será demasiado insistir no fato de cada alma encarnada neste mundo está aqui com o propósito de adquirir experiência, compreensão e de aperfeiçoar sua personalidade com vistas aos ideais da alma. Nosso único dever é obedecer aos desígnios de nossa própria consciência, e essa, nem por um momento, deve tolerar domínio de outra personalidade. Que cada alma se lembre da sua missão, pois caso isto não aconteça, o conflito entre alma e personalidade terá efeito na forma de distúrbios físicos.

O médico do futuro terá dois objetivos principais, o primeiro será o de ajudar o paciente alcançar um conhecimento de si mesmo e apontar-lhe os erros fundamentais que ele possa estar cometendo, como as deficiências de seu caráter e qual é o caminho para ele corrigir esses defeitos em sua natureza que tem de ser erradicados e substituídos por virtudes correspondentes. Inspirar-lhe esperança, consolo e fé.

O segundo dever do médico, será ministrar remédios que ajudem o corpo físico a recobrar a força, auxiliem a mente a serenar-se, e ampliem seu panorama e sua luta pela perfeição, trazendo assim, paz e harmonia para toda a personalidade. Tais remédios existem na natureza, e foram colocados ali pela graça do Divino Criador para a cura e o conforto da humanidade.

Como podemos ajudar a nós mesmos? Considerar nossa mente e fazer uma análise de nosso comportamento. Quais são nossas sombras, sabotagens e o que estamos “escondendo debaixo do tapete”. Quando o “defeito” é descoberto, o remédio não consiste em lutar contra esse defeito, nem usar de energia e força de vontade para suprimir o erro, mas no firme desenvolvimento da virtude oposta, desse modo eliminando automaticamente da nossa natureza qualquer vestígio de transgressão. Esquecer a falha e se esforçar conscientemente para desenvolver a virtude que a torne impossível: esta é a verdadeira vitória.

Talvez uma das maiores tragédias do materialismo seja o desenvolvimento do tédio e da perda da autêntica paz e felicidade interior, pois ensina as pessoas a buscar o contentamento e a compensação para as atribulações no consumismo, que não podem nos proporcionar mais que um esquecimento temporário de nossas dificuldades. Na era do TER o medo aumenta naturalmente com as posses materiais. Quanto mais se tem, mais medo e insegurança é gerado. Tão difícil de se obter e mais difícil ainda de se manter, exceto por um ciclo ou um período será possível, pois a vida é formada de vários ciclos. Manter a matéria, gera ansiedade, principalmente se ela é guardada sem uma função de fluxo e a serviço da experiência. Quando mantida por egoísmo, gera medo que é um dos maiores causadores de doença na atualidade.

O dever da arte de curar consistirá em ajudar-nos a obter o conhecimento necessário e os meios pelos quais superar nossos males e, além disso, em administrar os remédios da natureza que fortaleçam nossos corpos físicos e mentais e nos deem maiores oportunidades de vitória. Só assim estaremos verdadeiramente aptos a atacar a doença em sua base com uma viva esperança de êxito. A escola médica do futuro não se interessará em particular pelos resultados finais e produtos da doença, não dará muita importância às lesões físicas em si, tampouco administrará drogas e produtos químicos apenas, no intuito de atenuar nossos sintomas, mas, de compreender a verdadeira causa das doenças, concentrando seus esforços no intuito de estabelecer a harmonia entre o corpo, a mente e a alma.

Entre os tipos de remédio e curas, estarão os remédios que provém da natureza, florais, fitoterapia, e outras tantas curas vibracionais.

Devemos ser firmes na determinação de vencer, resolutos na vontade de conquistar o topo da montanha. Não nos detenhamos pensando nos tropeços do caminhar. Nenhuma grande ascensão se deu sem falhas e quedas, e elas devem ser consideradas como experiências que nos ajudarão a tropeçar menos no futuro.

A Natureza Cura!

Enjoy your Path, Enjoy your Choice!

Fonte: Os Remédios Florais do Dr. Bach


Posts Em Destaque
Posts Recentes